Atacante Roger declara ter se libertado do álcool: “hoje vivo o evangelho de Jesus”

Hoje eu vivo o Evangelho de Jesus. Sou um cara que ama, que perdoa, que é alegre, que dá a mão”.

Recentemente contratado pelo Sport Club Internacional, o atacante Roger, contou que desde o início de sua carreira no futebol, já enfrentava sérios problemas com bebida alcoólica.

Em entrevista recente ao programa Bola da Vez, exibido pela ESPN Brasil, disse:

“Tinha prazer em beber, necessidade de tomar antes da janta umas cinco long necks. Tomava fácil”, confessou o atleta.
“Acordava de uma ressaca às 3 horas da manhã, ia treinar, chegava em casa e falava ‘quero tomar uma cerveja, Elizabete. Ou você busca pra mim ou eu vou sair pra tomar’. E, muitas vezes, por ela não querer sair, ela buscava”, o atleta detalhou.

O jogador Roger disse que começou a ver-se um viciado ainda com seus 16 e 17 anos, quando dava início a sua carreira como jogador de futebol profissional pela Ponte Preta.

“Gostava de ir na Vila Rica, onde nasci e cresci, e comecei a beber com meus amigos.  Acabava o jogo da Ponte, ia lá e ficava bebendo até 3h da manhã. Só que era um hobby, era uma cervejinha, dali a pouco era um churrasco… e durante uns dez anos da minha vida eu bebi muito”, admitiu Roger.

O jogador ainda revelou que foi treinar muitas vezes bêbado.

“Tá louco? Quando eu não fui? Quando você é jovem, aguenta. Os moleques de 20, 22 anos aguentam”, falou. Roger teve uma criação cristã, seus pais são evangélicos, e após ter se perdido no alcoolismo, tomou a decisão de voltar para Cristo e a fé foi determinante em seu processo de libertação do vício.

“Meu pai é até hoje motorista de ambulância, minha mãe vendia salgadinho, era boleira, mas, com seis anos, já conhecia Jesus. Fui um cara criado na igreja, eu já tinha uma disciplina legal”, ele conta. “Hoje somos livres.

Hoje eu vivo o Evangelho de Jesus. Sou um cara que ama, que perdoa, que é alegre, que dá a mão”.

COMPARTILHAR
Eu sou um desenvolvedor web que está trabalhando como freelancer. Estou morando em Joinville, uma cidade do Brasil.